2009 Viagem por Holanda

O texto a seguir foi traduzido por Slimjet.
Se isso não for bom :
Quem quer ajudar a traduzir o inglês / dutch para o português ?

Este ano Henri queria navegar para portos / águas onde nunca esteve com o Orm.
Ele também queria visitar velhos amigos e esperançosamente também fazer novos amigos novamente.
No entanto, muito tinha que acontecer antes que a jornada pudesse começar.
O navio submarino teve que ser alcatroado, navio lançado.
O lastro de pedra, o equipamento do navio, roupas,alimentos e bebidas tinham que ser trazidos a bordo.
E finalmente o navio teve que ser equipado e preparado para navegar.

4/8 Partiu de Broek op Langedijk.
No primeiro dia, Henri queria ter calma para se recuperar dos muitos trabalhos das últimas semanas.
Via direção Purmerend Monnickendam.
Parecia calmo no w.s.v. DE GEUZEN em Katwoude, por isso foi pedido um beliche.
O Orm não foi apenas muito bem-vindo, mas Henri também caiu no bolo com o nariz, um aniversário foi celebrado naquele dia.

5/8 O pátio com a vela teve que descer e o mastro ficou plano para passar debaixo de uma ponte e um momento depois ser colocado no Grafelijkheidssluis.

O objetivo final deste dia era Marken, a antiga vila de pescadores onde o Orm nunca havia estado.
Na parte norte do porto, o espaço ainda estava disponível para que o Orm pudesse ficar ao lado do cais.
Quando o navio estava emperrado, o capitão do porto chegou para perguntar se havia a intenção de que houvesse a noite.
Depois de uma resposta afirmativa a isso, o capitão do porto disse :
"Então eu não ficaria aqui, porque tenho que ir e empilhar esta tarde, apenas deitar lá naquele canto, lá você está seguro".
Como sempre, o capitão do porto estava certo.
No canto havia um ponto triangular estreito onde o Orm se encaixava exatamente.
No final da tarde, os navios estavam às vezes com quatro fileiras de espessura.

Marken

6/8 Hoje foi o objetivo de Almere.
Bom tempo, mas sem vento ou da direção errada, por isso não navega.
Indo para Pampus, o antigo trabalho defensivo de Amsterdam, depois sob a ponte holandesa para Almere.
Após duas chamadas telefônicas, deixe o cartão Postbank na cabine telefônica.
Meia hora depois, o cartão foi embora.
Não é preciso pensar Henri, a delegacia de polícia fica em frente à cela, ele terá sido levado para lá.
Não tão.
A falta de um cartão de crédito afetaria Henri durante toda a jornada, há cada vez mais postos de gasolina onde a gasolina só pode ser abastecida com cartão de crédito.
7/8 O Orm nunca havia navegado em Flevoland, a caminho de Biddinghuizen.
A fechadura em Almere é uma fechadura moderna, mesmo com cabeços flutuantes, o que é muito fácil.
O que correu menos bem foi que o motor e o leme estavam regularmente cheios de grama e juncos de roçada.
Havia lugares onde o lixo estava em toda a largura da água.
Isso deve ser melhor ajustado, com todos os motores de popa rodando nele.
O w.s.v. Biddinghuizen estava quase acabando com a renovação do seu clube e tinha um bom espaço.
8/8 Os Kampersluis e os Ketelsluis não eram tão modernos quanto a eclusa em
Almere, de modo que não têm postes de amarração flutuantes, mas há sempre uma escada para trocar facilmente as linhas enquanto se desloca.
Em Kampen para o velho e familiar w.s.v. De Bovenhaven.
Este é um porto tranquilo onde o Orm foi muitas vezes.
Uma vantagem é que o posto de gasolina fica ao lado do porto.
Mas isso não aconteceu desta vez, hoje em dia apenas um cartão de crédito pode ser usado.
Então você tem que esperar até que haja um carro para reabastecer eo motorista acredita que a história que você tem dinheiro, mas nenhum cartão e está disposta a reabastecer.
Henri sentiu-se como um mendigo.

Além disso navegou para IJsselzicht te Veessen o porto de Nol e Henny.
Eles também correm o restaurante do hotel correspondente com um terraço que realmente tem uma bela vista do rio IJsel e do interior.
Se alguém tiver tempo, certamente vale a pena navegar com o ferry cossaco para o outro lado do IJssel.
9/8 Não navegue um dia, aproveite a paz.
10/8 Em Zutphen, a w.s.v. DE MARS foi visitada para visitar conhecidos.

11/8 O capitão do porto de Engel em Rheden teve a gentileza de emprestar sua bicicleta a Henri.
Isso permitiu que ele comesse uma deliciosa panqueca com bacon na casa de panquecas Strijland.
12/8 Para encontrar novamente seu antigo vizinho, Henri se aproximou do porto do w.s.v. VADA.
Choveu naquele dia, mas por causa do bom cuidado do capitão do porto havia um lugar quente e seco.
13/8 Em 2008, o Orm participou do evento Dorestad Revive.
Então Wijk bij Duurstede teve que ser colocado para comer com os velhos amigos.
14/8 Batenburg, com sua balsa centenária sobre o rio Maas para Demen, nunca havia encontrado o Orm.
Uma boa razão para fazer isso.
Felizmente ainda havia um beliche livre.
15/8 Vamos ver como a Leukermeer se desenvolveu ao longo dos anos.
Uma marina moderna foi construída.
Há poucos berços disponíveis ao lado.
A maioria dos lugares foi ocupada por alemães.
O sono não chegou muito naquela noite, havia uma discoteca acontecendo em algum lugar.
A música era muito alta e foi carregada sobre a água.
Quando a música finalmente parou às 03:00, os festeiros voltaram para seus navios, que também foi acompanhado por muitos decibéis.
16/8 Há muitas marinas nos lagos ao redor de Roermond.
O clube de remo e vela MAAS EN ROER foi escolhido para passar a noite.
Isto acabou por ser uma boa escolha porque o restaurante De Thuishaven serviu uma excelente refeição de produtos frescos por pouco dinheiro.
17/8 Era a intenção de partir daqui para Eindhoven, porque os antigos vizinhos de Henri, de Ede, agora moram na vizinhança.
Mas infelizmente eles estavam mantendo feriados em Zeeland.
Para evitar ter que navegar pelo canal lateral de Eindhoven duas vezes, Henri decidiu continuar na direção de Tilburg.
Esta cidade com o seu antigo Piushaven  tem um apelo especial.
O Orm também participou do evento MariVin para preservar o Piushaven.
Infelizmente, os velhos amigos estavam de férias aqui também.

18/8 Era um tempo lindo, então um dia de descanso foi adicionado.
O navio e sua tripulação poderiam usar um poço de limpeza.
19/8 O GEERTRUIDENBERG da ws.v. tem sido um ponto de partida permanente por muitos anos.
O casal Geluk, que segura o cetro, tornou-se um verdadeiro amigo.

20/8 Robin, O filho de Henri, tinha ido a Geertruidenberg para velejar com o pai.
Neste dia o Biesbosch foi escolhido.

Os Orm tinham navegado com mais frequência no Biesbosch, mas este dia foi um fiasco.
Este ano houve um tipo especial de erva daninha, com 1 cm de largura, presa ao fundo.
Velejar o Orm teve uma boa viagem, mas quando o navio pousou em um wierveld o leme quebrou e se tornou incontrolável
( para a construção do leme ver : fatos Viking ).
Então o motor de popa foi ligado para fazer o navio dirigir novamente.
As algas, no entanto, provaram ser tão duras que o motor ficou preso nele.
A terceira possibilidade de avançar com um navio viking é o remo.
Os dois homens com dificuldade conseguiram tirar o navio das algas marinhas.
Infelizmente, o Orm recuou um pouco mais em um campo de wier.
Então deixe o Biesbosch o mais rápido possível e retorne a Geertruidenberg.

21/8 O leme sobressalente foi montado no navio.
Tempo bonito, uma boa brisa do oeste.
Os dois homens decidiram ir velejar.
Robin costumava passar de carro pela ponte de Moerdijk e queria vê-lo de baixo agora.

Então soltou a linha de vela da vela para o quintal e o navio saltou para a frente.
Os oito tiros da vela bem colocados e quase sem ter que usar o leme, o Hollands Diep estava acabado.
Então o Bergsche Maas para Heusden.
O vento soprava cada vez mais e a previsão do tempo era ruim, por isso não navegou mais.
A viagem de volta a Geertruidenberg na moto demorou um pouco mais.
22/8 Primeiro para a cidade velha de Heusden, onde um navio de bancas está localizado, para obter gasolina.

Então o Dammed Meuse. Aqui a corda de fixação quebrou do leme ( sobressalente ).
No w.s.v. HET ESMEER perto de Aalst o Orm foi calorosamente recebido e uma amarração tranquila foi garantida.
A peça de corda foi cortada da corda e um novo grommer ( nó turco ) se dividiu na corda.
Em seguida, a corda do interior para o interior pelo leme, pelo leme, através da pele do navio e no interior da viga.
Tudo em todos um trabalho decente de mais de uma hora.
Em seguida, uma cerveja bem merecida e uma boa refeição no renovado "Schippers Inn".
23/8 O Orm estava às 08.00 em frente ao Wilhelminasluis.
Duas luzes vermelhas ( bloqueio não é operado ).
Henri não sabia que era domingo, então a fechadura só era servida às 10h.
A fechadura em Gorinchem abriu imediatamente antes do Orm.
Navegando pelo famoso comboio no Merwedekanaal.
Nas comportas de Vianen e Nieuwegein, a fechadura estava aberta do outro lado, então era preciso esperar um pouco, sempre bom conversar com os outros capitães.
Em Niewegein estava atracado no porto de transeuntes PLETTENBURG.
No dia seguinte, dois treinadores viriam.
24/8 Como mencionado, o navio submarino foi asfaltado este ano.
Isso foi feito em um galpão de Henri.
Portanto, era lógico que ele e sua esposa passassem um dia com o Orm.
Hoje passaria pela Hollandse IJssel para a Hekendorp.
O bloqueio presente lá, sob a estrada, é único no seu género e ainda é operado à mão.
Era um belo dia de sol, navegando em uma bela paisagem, então todos tinham gostado.

25/8 Over de Dubbele Wederik para Nieuwerbrug.
A partir daí, o Oude Rijn para Alphen aan den Rijn porque : Em primeiro lugar, durante uma visita anterior ao w.s.v. Alphen aan de Rijn, ficou claro que era um porto tranquilo com pessoas legais.
Isso acabou sendo o caso novamente, porque o capitão de guarda e seu marido fizeram tudo o que puderam para tornar Henri o mais agradável possível.
Em segundo lugar, o Orm participou em 2003 no quinto lustro do clube de remo Alphen aan den Rijn.
Seria bom conhecer o organizador do evento mais uma vez.
Cees veio a bordo à noite com um cordeiro de orelha.

26/8 Com Cees no leme do Braasemer e o Kaag para o canal do anel do Haarlemmermeer.
Porque ele teve que trabalhar novamente à tarde, ele saiu em Lisserbroek para voltar de ônibus.
O Orm poderia navegar no centímetro sob todas as pontes em Haarlem, sem operação.
No entanto, não é justo que as pessoas ainda tenham que pagar uma taxa de trânsito.
O objetivo final deste dia foi Spaarndam.
O grande desejo de Henri era passar a noite com o Orm na câmara de fechamento de Spaarndam.

Não só porque este é ( o bloqueio mais antigo na Holanda)
mas também porque a filha de um antigo colega mora lá.
O bloqueio normalmente não está mais operacional.
Mas porque este ano o trabalho na grande fechadura em Spaarndam está sendo realizado, a história dizia que a antiga fechadura estava sendo operada novamente.
Esta seria, portanto, a chance de cumprir o desejo.
Mas o que aconteceu foi que a fechadura só era operada nos finais de semana e nem todo mundo estava feliz com isso, perturbava a paz.
Se alguém gosta de paz e de uma praça nostálgica, os carros também devem sair daqui.
Nos dias úteis a fechadura estava fechada e não foi feita nenhuma exceção para deixar o Orm entrar.

O Orm teve que escolher um berço fora da bacia de bloqueio.
Claro que isso foi uma grande decepção.
Felizmente, a calorosa acolhida de Angelique e seu marido causou uma boa impressão.

Spaarndam

Porém, o que fez a permanência de noite em Spaarndam realmente desagradável era o lentilha-d'água empilhado.
Tinha sido alguns dias de vento do sul, a grande fechadura estava menos aberta devido ao trabalho, havia sido tempo quente por algum tempo.
Todas as razões pelas quais todas as lentilhas do Spaarne em Spaarndam estavam amontoadas.
Mas isso não era apenas lentilha, parecia tinta.
Quando um pedaço de corda entrou na água, ficou imediatamente verde e não pôde ser limpo.
E fede isso !
Não foi bom poder dormir com aquele cheiro debaixo de um pedaço de tecido de tenda.

27/8 Como sempre, quando o Orm estava em casa, chovia.
Devido ao trabalho no fechamento, duas horas tiveram que ser esperadas para operação.
No Canal do Mar do Norte é sempre uma visão agradável ver o hidrofólio de Amsterdam
a IJmuiden ( voar ).
A partir de então, Nauerna foi alcançado rapidamente.
Uma placa com o novo número 06 da fechadura estava faltando, então demorou um pouco até que a fechadura fosse acionada.
Via Nauernase Vaart para De Woude.
Como tem sido o costume há anos, como a última parada, foi criado aqui para consumir alguma coisa.
Agora, ficava a uma curta distância de Alkmaar, através do Canal da Holanda do Norte e do Canal Alkmaar-Kolhorn, até Broek op Langedijk.