2003 Quinto aniverário do clube de remo em Alphen aan de Rijn

O texto a seguir foi traduzido por Slimjet.
Se isso não for bom :
Quem quer ajudar a traduzir o inglês / dutch para o português ?

O quinto lustro !

Já foi mencionado por Arend de Hoog em sua presidência:  organizar um lustrum é um tremendo esforão para os organizadores,  mas dá um ótimo chute!
Isso também se aplica ao 5. lustro da associaãão.
Embora os sinais econômicos não fossem tão favoráveis  ( seria difícil conseguir um subsídio em uma época de crise econômica ),  não nos permitiram reclamar.
Graãas ao recrutamento intensivo e uma dose de criatividade,  por exemplo,  ao organizar contribuiãões "em espécie",  percebeu-se que a contribuiãão do patrocinador era aproximadamente do mesmo tamanho que a reserva de lustro salva pela associaãão!
O evento do lustrum comeãou no sábado, 17 de maio, por alguns anos, muito cedo:  o portão do clube de canoas tinha que abrir às 6 horas para deixar um caminhão passar com a tenda do grupo  ( que tinha de ser construída pelo proprietário ).
Enquanto isso, alguns outros entusiastas estavam fazendo sanduíches para o almoão ( sanduíches com salsicha e sopa! ).
às 9 horas os RVA comeãaram a se preparar para a maior viagem de navegaãão  em termos de equipamento de navegaãão,
que o clube conhecia em sua existência quase todos os barcos estavam na água,  incluindo os recém-restaurados "assovia",
que foi navegada por alguns membros proeminentes da equipe "segunda-feira de manhã",  atividades também foram desenvolvidas no outro lado de Alphen:
De Weteringhaven, um verdadeiro navio viking navegou em direãão à Avifauna.
Este navio foi no dia anterior por reboque de Zuid-Scharwoude e lanãado no Rijnhaven.

No local de ancoradouro dos vizinhos da Avifauna ( a família Scherpenzeel ),  o navio foi manipulado e os perigos das provas da noite de sexta-feira por 7 RVAers.
Uma experiência especial, navegando com esse navio.
Inacreditável que com este tipo de barcos ( este foi um modelo em escala 1 em 2, mas ainda ! )
Grandes distâncias foram superadas sobre os mares e rios do mundo !
Remo em um nutshell tão versátil é uma experiência muito especial,  metade da tripulaãão perdeu uma coleira ( os crânios ),  enquanto os remadores tiveram que se acostumar com o tipo completamente diferente de batalha  ( uma espécie de remo ! ).
O barco pode ronda, enquanto com todos os 6 cintos de remo ( e o barco fica em seu lugar ! ).
Vela com vela já está em um ângulo de vento de 15 °

Por volta das 10 horas, os primeiros barcos a remos já chegados foram avistados na Avifauna,  onde o antigo "campo de Hollandia" estava equipado com um molhe improvisado.
Os primogênitos não foram os que vieram através do Aarkanaal e Oude Rijn,  mas eram skiffeurs que tinham navegado para o outro lado através do Braassem !

Gradualmente, a frota voou na Avifauna: oito, partida, C-quatro, C-2, esquifes,  esquifes duplos, esquifes juvenis, werries e até a malha.
A maioria dos barcos foi colocada de cabeãa para baixo no campo de Hollandia: uma bela vista !

Então café/chá/refrigerante com bolo de aniversário na Avifauna.
Todo o salão do Ara estava cheio de membros do RVA de suéter vermelho, muito impressionante,  apenas uma grande família, com membros da idade escolar primária quase idosa !
Não estragou a graãa que um bando de vikings interrompeu a festa raptando um  membro do comitê de lustrum e ameaãando o presidente com uma perigosa espada e uma espécie de "goedendag".
Após negociaãões emocionais,  foi feita uma comparaãão e o presidente disponibilizou uma equipe de remo para o rapel da viking,  permitindo que o presidente completasse seu mandato e continuasse a festa sem derramamento de sangue.

Depois que um rebocador com esfregão e um barco da Polícia Nacional chegaram,  os barcos foram revistados novamente e a frota foi lanãada.

Havia tantos barcos que a formaãão de uma frota levou cerca de meia hora.
Então, com a P-38, da Polícia Estadual na água, poderia haver perigos, em direãão às pontes,  que precisavam ser abertas para a nau capitânia, "De Orm".
Isto foi organizado profissionalmente através do rádio da polícia !
A viagem por Alphen foi um belo espetáculo.
Certamente não foi uma revisão rigorosamente organizada da frota: mais uma espécie de "relógio" que lentamente navegou em direãão a Aarkanaal. No entanto, a viagem atraiu amplo interesse público.



Na ponte do Reno (a única ponte permanente na rota),  o "Orm" teve que abaixar o mastro para passar sob a ponte e a revisão da frota foi dissolvida.
Aqui os remadores podiam finalmente "pegar as pernas" e o passeio era mais  como uma corrida de barco para onde a sopa com sanduíches estava pronta.

O Orm então navegou para o cais.

No meio da tarde, convidados, patronos e ex-membros chegaram à tenda do partido.
Antes do recomissionamento, no entanto, ainda havia um destaque no programa:  uma partida de remo entre equipes da B & W em Alphen e Ter Aar.
Este jogo foi navegado em werries.
O Alphense Werrie foi remado pelos vereadores Klaas Tigelaar e Hub van Wersch,  com Cees Korstanje ao leme,  enquanto o ter Aarse werrie foi remado pelo prefeito Arie Epskamp e nosso remador RVA e vereador Nico Jonker,  enquanto Riemer Runia enviou este barco.
Sob forte encorajamento do público, incluindo o pai Nico Schoof Alfabeto, Cees de Hey estava remando a 250 metros.
Após uma emocionante luta,  o time de Ter Aar chegou à balsa como vencedor e recebeu o troféu  (um tanque de remo com placa) para a prefeitura de Ter Aar.
Então poderia haver uncorked e já foi levado um avanão no partido grande que foi planejado durante a noite.
A festa na grande tenda comeãou à noite às oito e meia em estilo de champanhe.
A banda comeãou a tocar às nove horas, a torneira estava aberta e a maioria dos festeiros também mencionou desta vez: poderia ser comemorado !
Isso também estava lá !
Houve rumble, danãando, bebendo e foi divertido.
A banda tinha algo a gosto para todos, para que os jovens e os idosos pudessem se divertir na mesma festa. Arend e nosso viking, Henri Houben, mais uma vez cruzaram as águas um do outro,  mas desta vez com um chifre norueguês com cerveja (loucos que os escandinavos !).

Depois que a multidão comemorou, o prédio era vigiado por Cees e Edo, enquanto Henri dormia em seu barco.
Acordando cedo na manhã de domingo pela equipe de limpeza da barraca do Fa.
Kuijf é algo diferente do normal !
O café da manhã, fornecido pela Marjo, gosto muito !
De qualquer forma, depois de colocar de volta as plantas no local onde ficava a tenda,  ajudando a carregar o Orm, limpando os óculos,  arrumando os itens de festa e colocando de volta as cadeiras,  o que pode acontecer no domingo costuma acontecer no clube : remo !

Escrito por: Cees Korstanje